30 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: Analysis of deaths related to anesthesia in the period 1996-2004 from closed claims registered by the Danish Patient Insurance Association


Hove LD, Steinmetz J, Christoffersen JK, Møller A, Nielsen J, Schmidt H.

Anesthesiology. 2007 Apr;106(4):675-80

ABSTRACT

Background: Anesthesia is associated with complications, and some of them may be fatal. The authors investigated the circumstances under which deaths were associated with anesthesia. In Denmark, the specialty anesthesiology encompasses emergency medicine, chronic and acute pain medicine, anesthetic procedures, perioperative care medicine, and intensive care medicine.

Methods: The authors retrospectively investigated anesthesia related deaths registered by the Danish Patient Insurance Association.

Results: From 1996 to 2004, 27,971 claims were made by the Danish Patient Insurance Association covering all medical specialties, of which 1,256 files (4.5%) were related to anesthesia. In 24 cases, the patient's death was considered to result from the anesthetic procedure: 4 deaths were related to airway management, 2 to ventilation management, 4 to central venous catheter placement, 4 as a result of medication errors, 4 from infusion pump problems, and 4 after complications from regional blockades. Severe hemorrhage caused 1 death, and in 1 case the cause was uncertain.

Conclusions: Several of the 24 deaths could potentially have been avoided by more extended use of airway algorithm, thorough preoperative evaluation, training, education, and use of protocols for diagnosis and treatment.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

24 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: Transmission of Pathogenic Bacterial Organisms in the Anesthesia Work Area


Randy W. Loftus, Matthew D. Koff, Corey C. Burchman, Joseph D. Schwartzman, Valerie Thorum, Megan E. Read, Tammara A. Wood, Michael L. Beach.

Anesthesiology 2008; 109:399–407


Background: The current prevalence of hospital-acquired infections and evolving amplification of bacterial resistance are major public health concerns. A heightened awareness of intraoperative transmission of potentially pathogenic bacterial organisms may lead to implementation of effective preventative measures.

Methods: Sixty-one operative suites were randomly selected for analysis. Sterile intravenous stopcock sets and two sites on the anesthesia machine were decontaminated and cultured aseptically at baseline and at case completion. The primary outcome was the presence of a positive culture on the previously sterile patient stopcock set. Secondary outcomes were the number of colonies per surface area sampled on the anesthesia machine, species identification, and antibiotic susceptibility of isolated organisms.

Results: Bacterial contamination of the anesthesia work area increased significantly at the case conclusion, with a mean difference of 115 colonies per surface area sampled (95% confidence interval [CI], 62–169; P < 0.001). Transmission of bacterial organisms, including vancomycin-resistant enterococcus, to intravenous stopcock sets occurred in 32% (95% CI, 20.6 – 44.9%) of cases. Highly contaminated work areas increased the odds of stopcock contamination by 4.7 (95% CI, 1.42–15.42; P = 0.011). Contaminated intravenous tubing was associated with a trend toward increased nosocomial infection rates (odds ratio, 3.08; 95% CI, 0.56–17.5; P = 0.11) and with an increase in mortality (95% CI odds ratio, 1.11 – ∞; P = 0.0395).

Conclusions: Potentially pathogenic, multidrug-resistant bacterial organisms are transmitted during the practice of general anesthesia to both the anesthesia work area and intravenous stopcock sets. Implementation of infection control measures in this area may help to reduce both the evolving problem of increasing bacterial resistance and the development of lifethreatening infectious complications.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

20 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: O erro clínico, os efeitos adversos terapêuticos e a segurança dos doentes: uma análise baseada na evidência científica

António Vaz Carneiro

Rev Port Saúde Pública. 2010;Vol Temat(10):3-10

O problema da qualidade em saúde e, dentro desta, da segurança dos doentes é um campo relativamente recente da gestão em saúde, investigação e prática clínicas, já que apenas nas últimas 2-3 décadas é que este tema se tornou uma preocupação formal dos diversos Sistemas de Saúde e seus responsáveis.

Neste artigo apresenta-se e discute-se o problema do erro clínico, as teorias dos sistemas de segurança dos doentes, algumas soluções até agora testadas noutros sistemas de saúde para a aumentar e, finalmente, a que regras metodológicas devem obedecer os estudos sobre melhoria da qualidade em saúde.

A população-alvo é a dos doentes internados em hospitais, não porque os doentes ambulatórios não apresentem problemas idênticos de segurança, mas porque os modelos mais bem estudados são hospitalares.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

17 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: Anestesia Venosa Total em Infusão Alvo-Controlada Associada a Bloqueio do Nervo Femoral para Meniscectomia do Joelho por Acesso Artroscópico


Fernando Squeff Nora, TSA

Rev. Bras. de Anest. 131 Vol. 59, No 2, Março-Abril, 2009


JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O aumento da popularidade de técnicas operatórias minimamente invasivas reduziu os tempos de recuperação de procedimentos que, anteriormente, eram associados a período de internação longo. Este trabalho apresenta técnica de anestesia geral venosa total com propofol e remifentanil combinada a bloqueio do nervo femoral, por acesso perivascular inguinal.

MÉTODO: Foram incluídos 90 pacientes submetidos à artroscopia do joelho para meniscectomias. A indução anestésica foi feita com propofol em infusão alvo-controlada (IAC) (alvo = 4 μg.mL-1) e com remifentanil em IAC (alvo = 3 ng.mL-1). As alterações das concentrações de propofol e remifentanil eram realizadas de acordo com a eletroencefalografia bispectral (BIS) e a pressão arterial média (PAM). A ventilação era mecânica e controlada a volume e a via aérea mantida com máscara laríngea. Os valores das concentrações no local efetor de propofol e remifentanil eram obtidos através dos modelos farmacocinéticos dos fármacos, inseridos nas bombas de IAC e corresponderam a concentrações preditivas. Local efetor refere-se à área de ação dos fármacos. O tempo de alta hospitalar compreendeu o espaço de tempo entre a chegada do paciente na sala de recuperação até o momento da alta.

RESULTADOS: As concentrações médias no local efetor (ng.mL-1), máximas e mínimas, de remifentanil foram de 3,5 e 2,4, respectivamente. As concentrações médias no local efetor (μg.mL-1), máximas e mínimas de propofol, foram respectivamente de 3,1 e 2,6. A vazão média de infusão de propofol e de remifentanil foi de 8,54 mg.kg-1.h-1 e de 0,12 μg.kg-1.min-1, respectivamente. Os tempos de alta hospitalar foram, em média, de 180min.

CONCLUSÕES: Todos os pacientes foram mantidos dentro dos parâmetros estabelecidos.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

13 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: Estudo de incidência de eventos adversos hospitalares, Rio de Janeiro, Brasil: avaliação da qualidade do prontuário do paciente

Ana Luiza Braz Pavão, Daniel Andrade, Walter Mendes, Mônica Martins, Cláudia Travassos

Rev Bras Epidemiol 2011; 14(4): 651-61


Objetivo: Avaliar a qualidade da informação dos prontuários de três hospitais de ensino do Estado do Rio de Janeiro, participantes do estudo de base para a estimativa da incidência de eventos adversos (EA).

Material e Métodos: Estudo descritivo, baseado em informações coletadas na revisão de prontuários do estudo de base. Foi aplicado escore de completitude, medido pela proporção de informação ignorada, composto pelos graus de avaliação: excelente (menor que 5%), bom (5% - 10%), regular (11% - 20%), ruim (21% - 50%) e muito ruim (mais de 50%). Foram calculados proporções e intervalos de confiança de 95%, para cada informação do prontuário. A análise foi realizada para o conjunto dos pacientes, para os três hospitais e para pacientes com e sem EA. Foram calculadas médias na análise do conjunto de variáveis e, para fins de comparação, foi realizado o teste t de Student. Foi aplicado o teste qui-quadrado e a estatística de Fisher na análise comparativa entre pacientes com e sem EA.

Resultados: A qualidade dos prontuários foi considerada ruim, no conjunto dos pacientes. As variáveis que apresentaram maior proporção de ausência de informação foram: “Avaliação inicial da enfermagem” (63,9%) e “Avaliação do paciente pelo assistente social” (80%). O hospital 3 apresentou melhor qualidade dos prontuários e o hospital 1 apresentou o pior resultado. Os pacientes com EA apresentaram melhor qualidade dos prontuários do que aqueles sem EA.

Conclusões: Informações indispensáveis ao cuidado apresentaram baixo registro. Ressalta-se a importância da elaboração de medidas que visem melhorias na qualidade do prontuário, que irão refletir na qualidade da assistência ao paciente.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

10 de janeiro de 2012

Artigo recomendado: Perioperative Crystalloid and Colloid Fluid Management in Children: Where Are We and How Did We Get Here?



Ann G. Bailey, MD*†, Peggy P. McNaull, MD*†, Edmund Jooste, MBCHB, DA‡ and Jay B. Tuchman, MD‡

Anesth Analg 2010;110:375–90

ABSTRACT

It has been more than 50 yr since the landmark article in which Holliday and Segar (Pediatrics 1957;19:823–32) proposed the rate and composition of parenteral maintenance fluids for hospitalized children. Much of our practice of fluid administration in the perioperative period is based on this article. The glucose, electrolyte, and intravascular volume requirements of the pediatric surgical patient may be quite different than the original population described, and consequently, use of traditional hypotonic fluids proposed by Holliday and Segar may cause complications, such as hyperglycemia and hyponatremia, in the postoperative surgical patient. There is significant controversy regarding the choice of isotonic versus hypotonic fluids in the postoperative period. We discuss the origins of perioperative fluid management in children, review the current options for crystalloid fluid management, and present information on colloid use in pediatric patients.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

5 de janeiro de 2012

Não perca! QUALIHOSP 2012: Seminário Internacional de Qualidade em Serviços e Sistemas de Saúde. FGV-EAESP!

Artigo recomendado: Acute lung injury: significance, treatment and outcome

Gilman B. Allen and Polly Parsons

Current Opinion in Anaesthesiology 2005, 18:209–215

Purpose of review
This paper aims to provide a condensed review of the most essential and current research findings in the field of acute lung injury over the past year.

Recent findings
We review the most recent important findings in both laboratory-based and clinical research in the field of acute lung injury. Significant advances have been made in the past year with respect to our understanding of the pathogenesis of acute lung injury, and how key pathological events relatem to prognosis, outcomes, and the promise of new potential therapeutic interventions. In particular, significant advances have been made in our understanding of the prognostic roles of neutrophil recruitment and clearance, fibrinogenesis, inflammatory cytokines, alveolar fluid clearance, and endothelial injury and activation. Paramount studies have provided greater skepticism over the efficacy of prone positioning and the currently available surfactant replacement therapies. In addition, new research has fostered an improved appreciation of the long-term sequelae of acute lung injury.

Summary
Recent advances in our understanding of the pathogenesis of acute lung injury have provided the promise of exciting potential interventions to modify intravascular and extravascular fibrinogenesis, neutrophil activation and clearance, and alveolar fluid clearance. Our new understanding of prolonged disability and post-traumatic stress in acute lung injury survivors will ultimately change the standard for how these patients are managed in the intensive care unit and followed beyond their hospital stay.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

Pesquisar neste blog

Ocorreu um erro neste gadget