30 de setembro de 2011

Artigo recomendado: Estudo Comparativo entre o Uso de Laringoscópio e Estilete Luminoso para Intubação Traqueal


Matheus Felipe de Oliveira Salvalaggio, Rogério Rehme, TSA, Robson Fernandez, Suelen Vieira, Paulo Nakashima

Revista Brasileira de Anestesiologia
Vol. 60, No 2, Março-Abril, 2010

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A abordagem das vias aéreas com o uso do laringoscópio pode causar diversos tipos de traumatismos. Este estudo teve como objetivo tentar esclarecer se o método de intubação que utiliza o estilete luminoso pode ser uma alternativa menos traumática para o paciente em comparação ao método por laringoscopia direta.

MÉTODO: O presente estudo envolveu 98 pacientes de 16 a 88 anos, estado físico ASA I e II. Os pacientes foram divididos em dois grupos: Grupo L, submetido à intubação com laringoscópio, com 54 pacientes, e Grupo E, intubado com estilete luminoso, com 44 pacientes. Foram avaliados o número de tentativas para intubação, tempo de intubação, variação de pressão arterial e frequência cardíaca, dor de garganta (odinofagia), disfagia e rouquidão pós-operatória.

RESULTADOS: Os dados demográficos e os parâmetros hemodinâmicos foram semelhantes entre os grupos. Não houve diferença estatística significativa na pesquisa de dor de garganta e disfagia entre os dois grupos. A rouquidão foi o único dado estudado em que se observou diferença estatística significativa, mais predominante no grupo E (p = 0,05).

CONCLUSÕES: Ambas as técnicas de intubação são semelhantes em relação ao comportamento hemodinâmico dos dois grupos. No entanto, o grupo com estilete luminoso apresentou maior frequência do sintoma rouquidão.

Caso queira, deixe seu e-mail nos comentários abaixo desta postagem ou solicite pelo e-mail anestesiasegura@sma.com.br e lhe enviaremos o artigo completo.

Nenhum comentário:

Pesquisar neste blog

Ocorreu um erro neste gadget