29 de junho de 2010

Artigo recomendado

Human Factors Research in Anesthesia Patient Safety: 
Techniques to Elucidate Factors Affecting Clinical Task Performance and Decision Making

Matthew B. Weinger and Jason Slagle

JAMIA 2002 9: S58-S63
doi: 10.1197/jamia.M1229

Abstract
Patient safety has become a major public concern. Human factors research in other high-risk fields has demonstrated how rigorous study of factors that affect job performance can lead to improved outcome and reduced errors after evidence-based redesign of tasks or systems. These techniques have increasingly been applied to the anesthesia work environment. This paper describes data obtained recently using task analysis and workload assessment during actual patient care and the use of cognitive task analysis to study clinical decision making. A novel concept of “non-routine events” is introduced and pilot data are presented. The results support the assertion that human factors research can make important contributions to patient safety. Information technologies play a key role in these efforts.

  • J Am Med Inform Assoc. 2002; 9(Nov-Dec suppl):S58–S63. DOI 10.1197/jamia.M1229.
Downloaded from jamia.bmjjournals.com on March 8, 2010 
Published by group.bmj.com

22 de junho de 2010

COPA 2010 - Aula Dr. Arthur Vitor Rosenti Segurado

O Dr. Arthur Segurado, anestesiologista do SMA, também esteve no COPA 2010 e ministrou duas aulas. Ele as disponinibilizou para postarmos aqui no blog e esta é a primeira: Anestesia para Cirurgia Coloretal por Videolaparoscopia - A Técnica anestésica pode influenciar o resultado? Aula Cirurgias Coloretais COPA 2010 - Dr. Arthur Segurado

17 de junho de 2010

COPA 2010 - Aula do Dr. Pedro Paulo Kimachi



De 3 a 6 de junho de 2010 ocorreu o 7° COPA, organizado pela Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo (SAESP). O evento contou com a participação de grandes nomes da anestesiologia nacional e internacional.

O Dr. Pedro Paulo Kimachi, anestesiologista do SMA, ministrou sua aula no dia 4 de junho sobre Anatomia topográfica das estruturas nervosas através de métodos ultrassonográficos. Para aqueles que não puderam estar presentes, ele gentilmente disponibilizou sua apresentação para postarmos aqui no blog.

Aula COPA 2010 Dr. Kimachi

15 de junho de 2010

Termo de Consentimento e o novo Código de Ética Médica


Na última enquete que fizemos aqui no blog, perguntamos aos leitores sua opinião a respeito do Termo de Consentimento de Anestesia e Sedação. Pudemos verificar que 100% dos participantes consideram o documento importante.

De acordo com o gráfico abaixo pode-se observar que os respondentes dividiram-se entre as três alternativas de resposta que levam em consideração a importância do Termo:

- 28% disseram que apesar de considerarem o documento importante, os hospitais em que atuam não possuem esta norma;
- 36% disseram levar uma rotina corrida demais, que os impede de aplicar o documento a todos os pacientes;
- e os outros 36% afirmaram aplicar a todos os pacientes, exceto em casos de urgência.


Realizando uma análise mais crítica, devemos refletir se os resultados da enquete representam de fato a realidade. Uma coisa é certa: para aplicar o Termo, garantindo a autonomia de nossos pacientes, precisamos de tempo para uma conversa franca e clara. E, pelo que vimos, tempo é um dos maiores problemas! Há necessidade, portanto, de revermos o período que dedicamos à realização da avaliação pré-anestésica, tornando-o adequado para que todos os passos sejam seguidos.

De qualquer maneira, achamos que o assunto vale um breve retorno à tão discutida revisão no Código de Ética Médica, que passou a assegurar aos pacientes o exercício de sua autonomia no que diz respeito ao próprio tratamento.

Os seguintes trechos foram retirados do novo Código e representam o direito do paciente à informação e participação na decisão:

Capítulo I - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS
XXI - No processo de tomada de decisões profissionais, de acordo com seus ditames de consciência e as previsões legais, o médico aceitará as escolhas de seus pacientes, relativas aos procedimentos diagnósticos e terapêuticos por eles expressos, desde que adequadas ao caso e cientificamente reconhecidas.

Capítulo III - RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL
É vedado ao médico:
Art. 13. Deixar de esclarecer o paciente sobre as determinantes sociais, ambientais ou profissionais de sua doença.

Capítulo IV - DIREITOS HUMANOS
É vedado ao médico:
Art. 22. Deixar de obter consentimento do paciente ou de seu representante legal após esclarecê-lo sobre o procedimento a ser realizado, salvo em caso de risco iminente de morte.
Art. 24. Deixar de garantir ao paciente o exercício do direito de decidir livremente sobre sua pessoa ou seu bem-estar, bem como exercer sua autoridade para limitá-lo.

Capítulo V - RELAÇÃO COM PACIENTES E FAMILIARES
É vedado ao médico:
Art. 31. Desrespeitar o direito do paciente ou de seu representante legal de decidir livremente sobre a execução de práticas diagnósticas ou terapêuticas, salvo em caso de iminente risco de morte.
Art. 34. Deixar de informar ao paciente o diagnóstico, o prognóstico, os riscos e os objetivos do tratamento, salvo quando a comunicação direta possa lhe provocar dano, devendo, nesse caso, fazer a comunicação a seu representante legal.

11 de junho de 2010

4º Passo: Time Out (Check-list de Cirurgia Segura)


Segundo estudos do Safe Surgery Saves Lives Study Group, estima-se que 234 milhões de cirurgias são realizadas anualmente em todo o mundo. Nos Estados Unidos ocorrem cerca de 3.000 erros relacionados a procedimentos ou local cirúrgico por ano. Conforme o New England Journal of Medicine uma verificação adequada antes de qualquer procedimento cirúrgico reduz cerca de 47% a mortalidade e 36% as complicações pós-operatórias.

Atualmente a implantação de check-lists na área da saúde vem aumentando de forma significativa, fazendo parte dos processos de segurança incentivados pelos sistemas de acreditação hospitalar, representando um importante papel na questão da qualidade e segurança na saúde.

Uma das ações mais representativas em relação à segurança do paciente foi a implantação do time out, este definido como pausa para verificação antes do início de um procedimento cirúrgico, semelhante ao check-list de um piloto antes de qualquer voo, ou mesmo uma verificação final realizada no local onde a cirurgia ou o procedimento invasivo está prestes a ser realizado, utilizando técnicas de comunicação ativa entre todos os participantes da equipe assistencial envolvida.

O Hospital Sírio-Libanês desde 2007 vem utilizando o protocolo universal recomendado pela agência acreditadora Joint Commission International para prevenção de cirurgias realizadas em local errado e paciente errado.

Este protocolo inclui a checagem do paciente certo (checa-se pulseira e prontuário), procedimento a ser realizado, local a ser operado (confirma-se o lado com a placa de identificação), anotações do prontuário, exames de imagem, posicionamento correto (verifica-se conforto do paciente, proteções de proeminências ósseas e áreas de compressão), antibioticoprofilaxia, alergia, materiais e equipamentos (se tudo está em sala ou já foi providenciado).

A campanha realizada junto aos profissionais de saúde vem acarretando a melhoria nos indicadores de qualidade, principalmente a demarcação da lateralidade e a realização do time out no centro cirúrgico, processo de fundamental importância para a segurança do paciente.

Texto escrito por Dr. Guinther Giroldo Badessa - anestesiologista SMA

1 de junho de 2010

Artigo recomendado: Patients' satisfaction with the preoperative informed consent procedure: a multicenter questionnaire survey in Switzerland


Mayo Clin Proc. 2006 Mar;81(3):307-12.
Ghulam AT, Kessler M, Bachmann LM, Haller U, Kessler TM.
Department of Gynecology, University Hospital Zürich, Zürich, Switzerland.

Abstract

OBJECTIVE: To assess patients' satisfaction with the preoperative informed consent procedure in obstetrics and gynecology. PATIENTS AND METHODS: Between March 2001 and April 2002, patients from 11 Swiss hospitals, representing 3 linguistic areas of Switzerland, were given a questionnaire and a standardized operation-specific leaflet and engaged in a structured conversation. The questionnaire and operation-specific leaflet were designed in collaboration with the Swiss Patient Organization, the judiciary service of the Swiss Medical Association, and the Swiss Society of Obstetrics and Gynecology. RESULTS: A total of 3888 (56%) of 6970 women received the questionnaire and were enrolled in the study. Most of the patients considered the written and oral information to be good or excellent, and more than 80% did not desire further written information. Forty-five percent would have preferred to receive this structured Information the same day the decision to undergo an invasive procedure was made, and mere than half of the patients were reassured by the information provided. However, in 7% anxiety increased. In the multivariate analysis, Turkish (odds ratio [OR], 6.7; 95% confidence Interval [CI], 2.0-22.4; P=-.002) and Serbo-Croat (OR, 8.0; 95% CI, 2.4-27.4; P=.001) language and a poor rating of the written description of the planned operation (OR, 3.1; 95% CI, 1.1-9.0; P=-.03) were the only variables significantly associated with discontent. CONCLUSIONS: The combined written and oral preoperative information presented is well adapted to patients' Informative wishes and needs; it allows for a structured conversation, facilitates documentation, and offers valid legal proof that adequate information has been provided. Therefore, close collaboration between the national patient organization and the expert Judiciary and medical societies of the corresponding country is strongly recommended to Improve the Informed consent procedure.

PMID: 16529133 [PubMed - indexed for MEDLINE] Free Article

MeSH Terms:
  • Adolescent
  • Adult
  • Aged
  • Aged, 80 and over
  • Female
  • Gynecologic Surgical Procedures*
  • Health Care Surveys
  • Humans
  • Informed Consent*
  • Middle Aged
  • Obstetric Surgical Procedures*
  • Patient Education as Topic*
  • Patient Satisfaction*
  • Preoperative Care
  • Questionnaires
  • Switzerland

Pesquisar neste blog

Ocorreu um erro neste gadget